Tenho o Dom de Amar e o Privilégio de ser Amada.

12
Out 10

A tua mão grande procurou em vão a minha. Estava completamente desnorteada, observando esses teus olhos castanhos que parecem um poço sem fundo de desejo. Com a outra mão, impedias-me de desviar o olhar. Eu sentia as minhas faces a queimarem, aquele anseio profundo de te beijar. Não ouvia nada nem ninguém à minha volta. O tempo tinha parado para mim, e também para ti. Eu existia, tu existias, nós existíamos num universo diferente das pessoas que passavam por nós apressadas. O tempo era indiferente para nós. Tanto podia passar um segundo, como uma hora, que isso não nos afectaria. Nós não nos regíamos pelas leis do tempo, nem pelas do universo comum. Éramos um mundo à parte de tudo e de todos, um mundo formado por duas pessoas.

Calmamente, deixaste a tua mão enlaçar-me a cintura, puxando-me levemente para ti. Eu sorri. Há tanto que esperava por um beijo teu, mas ias-te embora sempre antes do tempo. A tua outra mão percorreu-me a face lentamente, até acariciar os meus cabelos que voavam indolentemente ao vento. Aproximaste-te ainda mais. Senti o teu perfume. Encostei o meu nariz à tua clavícula e inalei o teu odor. Uma avassaladora mistura de sentimentos passou por mim. Pensei que fosse desmaiar. Porém, estava bem segura nos teus braços fortes, que não me deixavam sair daquele abraço apertado. Passeei ao de leve o meu dedo no teu peito nu, trabalhado. Estava irremediavelmente apaixonada por ti e tu sabia-lo. Estava sob o teu encantamento e nada do que fizesse me iria libertar. Mas eu também não me queria libertar.

Os teus lábios procuraram os meus e ainda antes de se tocarem eu já sabia o que esperar. Os teus lábios eram macios e de encontro aos meus formavam o par mais perfeito de todos. Estávamos destinados a estar juntos para todo o sempre. Movemo-nos lentamente, numa dança apaixonada. Eu deixei de respirar. A tua língua tinha um suave gosto a canela. Exótico. Afrodisíaco.

Quando finalmente te afastaste, não consegui abri logo os olhos. Desejava guardar para sempre aquele momento. Má escolha a minha. Quando finalmente os abri, já lá não estavas. Uma grossa lágrima brotou-me do olho, mas ao mesmo tempo um sorriso irónico aflorou-me os lábios. Eu já devia saber que assim seria... Afinal de contas, tu és igual a um raio de Sol numa manhã fria e cinzenta de Inverno. Apareces para nos alegrar o dia, mas desapareces no instante seguinte, deixando-nos a saudade de te ter.

teoria feita por Mags às 15:52
tags:

magui esta lindo amei o texto *.*

AMO TE <3
Anónimo a 12 de Outubro de 2010 às 17:47

Foste tu que escreveste? Uau!!!!!!!

Está fabuloso mesmo! Keep going =)
Tiago a 12 de Outubro de 2010 às 20:56

Todos os textos aqui publicados são da minha autoria. Se alguma vez aqui fizer uma transcrição, irei também dizer quem é o seu autor e de onde retirei o excerto/texto.

Muito obrigada : )
Mags a 16 de Outubro de 2010 às 14:28

Ai amiga ele parece um anjo! eu ansiava por um final feliz! :'( porém adorei o texto, está lindo mas tão triste!!! mas esse facto para mim é o que ainda o torna mais belo...obrigado por partilhares mags! :D
Sei que ando desaparecida por estas bandas e a culpa é a preguiça! eu peço-te muita desculpa e vou fazer um esforço para acompanhar-te querida!
love u! bye
Adriana.
Adriana a 17 de Outubro de 2010 às 00:16

Outubro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

14
15

22
23

24



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Vamos contar o tempo...
PitaPata Dog tickers
Ajudar e...
760 50 10 95
...Prevenir!
"Orgulho naquilo em que acredito!"
pesquisar
 
"Exige muito de ti e espera pouco dos outros!"
Está verde? Podes falar!
blogs SAPO