Tenho o Dom de Amar e o Privilégio de ser Amada.

25
Out 10

Ontem fez 1 mês desde que fui operada. Lembro-me tão bem como se fosse ontem. O nervosismo de ir fazer algo que nunca tinha feito. A angústia de estar sozinha numa sala cheia de enfermeiros e médicos, cuidadosamente vestidos com as suas batas brancas e azuis claras. O medo de ficar ali deitada, sem me poder mexer e sem sentir as pernas, mas saber que me estavam a mexer. Os puxões que eu sentia (e só os sentia porque eu era MESMO puxada pelo médico). Os tremores (e ai como eu tremia!) com que estava, toda a gente a pensar que me ia dar uma coisinha má... E depois, o tempo que parecia que não passava. O desejo de sair dali a correr! Ainda sinto a anestesia a entrar dentro de mim. Da forma como o calor invadiu a parte inferior do meu corpo, e comecei a sentir as pernas pesadas. Ainda me lembro do que pensei enquanto lá estava na mesa de operações. No Mega. Na Kuka. No Bolinhas. No Sortudo. É giro ver que aquilo que me deu força para me acalmar lá, foram os meus animais. Os cães e o pássaro. (se bem que não deu grande resultado!)

Lembro-me também das conversas dos médicos. Do Dr.P.F. estar a cantar a "Milla" do Netinho. De dizerem que eu tinha muita piada. Do meu médico dizer que realmente isto estava mau. Que tinha mesmo uma ruptura. Lembro-me de ele pedir a tala (esta coisa nojenta que tenho na perna!). Lembro-me de ele me dizer: "Rapariga, faltava-te aqui um parafuso, mas agora já o tens!" e lembro-me da minha muito inteligentíssima resposta: "Ah não se preocupe, devem-me faltar mais uns quantos!". Lembro-me de toda a gente se rir disto. Lembro-me da hora passada no recobro, só desejando ir para o quarto e que lá estivessem as manas, o pai, a avó. Toda a gente. Só não queria estar sozinha! Lembro-me do medo. E nada disto são recordações vagas. São recordações que ainda sinto na pela, vozes que oiço como se fossem verdadeiras, sentimentos que passam por mim.

E hoje, dia 25, faz 1 mês desde que saí do hospital. Também me lembro desse dia. Da ansiadade de sair dali e de chegar a um sítio calmo, que faz parte do meu Ser. Da minha realidade.

 

E o balanço deste último mês? Bem, não é positivo nem negativo. Estou há 1 mês em casa. Há 1 mês que não vou às aulas... bem, isso não é totalmente verdade, fui à aula de Geografia na 4ªf passada fazer o teste... Tive a primeira semana praticamente toda deitada na cama. A segunda com dores no calcanhar por causa da ferida que estava a fazer, a terceira a estudar e a quarta novamente a estudar, e a fazer 1 teste. E ainda me falta mais uma semana e meia em casa! Reparei hoje que os músculos da minha perna esquerda estão fantabulásticos, mas os da direita quase já desapareceram... Não me posso enfiar na banheira, porque não posso molhar isto, ou seja, continuam as sessões de lavagem no lavatório e no bidé. Continuo a sonhar com o dia em que irei largar as canadianas (e esse dia ainda vem loooonge!). Com tudo isto, que posso eu dizer mais?

 

Eu só espero que este esforço todo, esta privação, este mês de quase total isolamento do mundo exterior sirva para alguma coisa!

teoria feita por Mags às 17:26

olá! Eu também nunca fui operado, nem quero ser. Ainda bem que estás a recuperar bem, apesar das dores. O importante é que não tenhas mais entorses, até ao fim dos teus dias. E quanto ás aulas, os teus amigos vão-te ajudar, de certeza como têm feito até aqui. beijos e boa recuperação.
nuno a 25 de Outubro de 2010 às 21:02

Outubro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

14
15

22
23

24



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Vamos contar o tempo...
PitaPata Dog tickers
Ajudar e...
760 50 10 95
...Prevenir!
"Orgulho naquilo em que acredito!"
pesquisar
 
"Exige muito de ti e espera pouco dos outros!"
Está verde? Podes falar!
blogs SAPO