Tenho o Dom de Amar e o Privilégio de ser Amada.

22
Abr 12

Vou-te contar um história. A história de uma menina, de 10 anos, que julga ter o mundo nas mãos. Que pensa que esse seu mundo, pequeno e perfeito, é cor-de-rosa clarinho como nos filmes... Anda num colégio privado, deseja, um dia, ser bióloga marinha (apesar de mais tarde ter mudado e decidido Direito!), e mais do que tudo, tem uma família, aos seus olhos, perfeita. Vou-te contar a história de uma menina que,  com apenas 10 anos, vê o seu pequeno e perfeito mundo desabar e uma nova realidade surgir-lhe. Esta, é a minha história.

 

Se algum dia escrevesse um livro, este seria o seu início. Passaram 7 anos desde que partiste. Hoje, poderia fazer apenas um reblog do que escrevi no ano passado. E não tiraria uma única vírgula, um único ponto, uma única lágrima. [ver] Mas não o faço. Mereces novas vírgulas, novos pontos, novas lágrimas, novas palavras.

Mereces ser relembrada a cada segundo, minuto, hora, dia, semana, mês, ano.

 

Continuo a sentir a tua falta. Passaram 7 anos e continuo a sentir a tua ausência, tal como no primeiro dia. Ainda tenho alturas em que vou às tuas gavetas apenas para relembrar o teu cheiro, em que pego em papéis por ti escritos para relembrar a tua letra, que visto roupa que um dia foi tua, para te sentir em mim. Mas também não escondo que aprendi a ser feliz. Já tive medo de o dizer, de o assumir. Mas no fundo, sou-o. E nunca te honraria se não o fosse. As minhas vitórias, são as tuas vitórias. Os meus sorrisos, os teus. Acredito que terias orgulho na pessoa em quem me tornei e é nisso que penso sempre que tenho uma decisão a tomar.

 

Este ano, não me alongarei mais. Tenho uma certeza que me descansa e hoje, nada mais preciso:

 

Enquanto existir memória, nunca serás esquecida. Enquanto existir amor, nunca deixarás de ser amada.

 

Sei que falo por todos cá em casa.

 

Sobrevivi e aprendi a viver 7 anos sem ti e contigo sempre presente. Agora é apenas continuar!

 

AMO-TE SEMPRE.

teoria feita por Mags às 17:02

16
Nov 11

"Sempre soube o que queria da vida. Nunca duvidei, nem por um segundo, da minha força, das minhas capacidades. Porque motivo se torna agora tão difícil para mim enfrentar um novo dia, levantar-me da cama e voltar a ir à luta? Deito-me lavada em lágrimas e mal acordo elas são as primeiras a acariciar o meu rosto despido de maquilhagem. Maquilhagem essa que utilizo para esconder as olheiras que teimam em não desaparecer. Rogo-te pragas. Sim, a ti que me deixaste neste estado decadente. Um fantasma vagueando pelo mundo, só e abandonada. Sem ser amada. Apetece-me arrancar do peito este músculo que se chama coração, apesar de saber que o que está estragado é a cabeça. O coração apenas reage aos estímulos cerebrais, batendo mais depressa. Se virmos bem, o amor e a paixão são apenas um conjunto de reacções químicas, uma conta matemática. Então porque motivo é para mim este bicho de sete cabeças, que me faz querer acabar com tudo?!

(...)

Está a chover lá fora. E há vento. Muito vento. Julgo mesmo que acabei de ver um relâmpago. Calço os sapatos e saio. Hoje ninguém me pára. Estou farta desta monotonia de dor. Não me apanhas noutra destas. A chuva fustiga-me o rosto, o vento faz o meu cabelo voar a seu belo prazer, acabando por me bater. As árvores vergam-se perante a força da natureza. Curiosamente, estou mais forte do que nunca! Tenho um sorriso nos lábios, a mente vazia e o coração calmo. Já nem sabia como era estar calma. Calma... Que palavra... A tua imagem não me vem à cabeça, a tua voz não me sussurra palavras ao ouvido e não sinto o toque da tua pele na minha.

Olho em frente e vejo um caminho bem delineado à minha frente. Assim que der o primeiro passo não há volta a dar. É um novo início!

Sou só eu. Eu, a chuva, o vento, a trovoada e este novo caminho à minha frente. (...)"

 

 

Não está aqui todo, porque há uma parte, que agora depois de relida, não gosto e por isso tenho de a refazer. De resto, é no que agora ando a trabalhar :) Espero que gostem!

teoria feita por Mags às 22:44
música: Bring me to Life -Evanescence
tags: ,

06
Set 11

As melhores emoções são aquelas que são sentidas, tão intensas que nem passar para o papel conseguimos. Pensamos que vamos sufocar com tudo, ao mesmo tempo que rejubilamos de alegria. E são aquelas que não precisam de ser ditas porque são mostradas em cada palavra trocada, em cada gesto que se faz, em cada olhar cúmplice lançado. E por muito que não precisem de ser ditas, damos por nós a pronunciá-las num acto sincero de amor. E por muito que que não precisem de ser ditas, damos por nós a desejar intensamente ouvi-las... Tão confuso que pode ser! Tão belo que arrepia.

Se é sincero, só nós sabemos. E fazemos questão de mostrar ao outro que o é. Mesmo que não seja preciso.

Vivemos numa espécie de bolha, num universo paralelo, construído por duas pessoas, para apenas duas pessoas. E essa bolha só pode ser rebentada se essas duas pessoas assim o quiserem.

Por mais tempo que passe, por mais espaço que separe, vai apenas fortalecer o que é sentido.

E por muito que se queira escrever, sabemos que assim que começamos tudo se esvai, porque não há palavras que descrevam tudo. É pouco, é vazio, é inútil, até por vezes frustrante. Mas é a melhor sensação do mundo!

teoria feita por Mags às 23:16

02
Jun 11

 

Eu cresci com a política a meu lado. Desde pequena me lembro de andar com o meu pai, em campanha. Lembro-me da primeira vez que ele concorreu aqui à freguesia. Lembro-me como se fosse ontem. Não das propostas dele, ou da política em si, mas sim de ser uma noite de Outubro, estar a tocar a música dos Vangelis, e do cheiro a castanhas assadas que pairava no ar. Lembro-me do frio que estava, mas também me recordo do orgulho imenso que senti, mesmo sendo pequenina. A política corria-me nas veias, apesar de o negar. Sempre que me diziam "Vais seguir as pisadas do teu pai, Magui?" eu respondia um aceso "Não! Não quero ir para a política, é chato!", no entanto, e uns bons aninhos depois, as pessoas já não me fazem essa pergunta. Já sabem que a resposta está mais do que sabida.

Aos poucos e poucos fui aceitando o que em mim existia. Esta necessidade de saber o que se passa no país e no mundo, de entender o porquê de certas decisões tomadas, e mais, fui aprendendo a construir as minhas próprias ideias, a defender as minhas crenças.

Hoje, afirmo com orgulho que sou PS, e que o que mais prazer me dá é andar na rua, lutar por este país que é também tão meu.

Hoje, afirmo com orgulho que defendo a distribuição da riqueza, defendo a igualdade, defendo um estado social e mais justo. Sou a favor de um SNS público e acessível a todos, e de uma escola pública, pois considero a educação um direito, independentemente do estatuto económico de quem a frequenta.
Defendo um PM capaz de apresentar medidas, como o PEC IV, numa tentativa de resgatar o país. E não concordo com um oposição tão sedenta de poder, que rejeita essas mesmas medidas, por as considerar muito exigentes, e que afirma que se vencer as eleições, as suas políticas serão muito mais exigentes que a Troika.

Defendo o TGV, porque sei que nos ligará à Europa, trazendo mais hipóteses de empreendimento no país.
Por tudo isto e muito mais, apoio José Sócrates, apoio o PS. Porque apoiar José Sócrates é defender o futuro, é Defender Portugal!

E no presente, se me perguntarem o que quero fazer no futuro, para além de vos dizer que quero tirar o curso de Direito, digo-vos também que quero seguir as pisadas do meu pai, porque ainda mais do que uma paixão, é uma necessidade. É um modo de vida!

teoria feita por Mags às 15:45

28
Mai 11

E o melhor do dia de ontem?

Tudo. A emoção de ver centenas de pessoas ali, todas juntas para defender uma causa, para apoiar uma pessoa, para Defender Portugal. A emoção da chuva a bater-nos na cara. A emoção de estar com o homem mais falado do país, tanto para o bem como para o mau. A emoção de o ter mesmo ao meu lado, e de o cumprimentar.

O orgulho sentido aquando da saudação a uma só voz: "É J, é S, é JS"; "PS, PS, PS"; "Vitória, vitória, vitória"; "Oh lélé oh lálá o Sócrates é, o melhor que há". O orgulho de poder dizer "Quanto mais a luta aquece, mais força tem o PS".

É mais do que alguma vez poderei transpor para o papel. Porque não há palavras para descrever tudo o que sinto, o que penso

 

É uma vida. -  É a vida que eu quero.

teoria feita por Mags às 00:19

23
Mai 11

...gostava que me desses um momento para te mostrar o quanto significas para mim. Um momento apenas, para te fazer sentir tudo aquilo que sinto, pensar tudo aquilo que penso. Utilizaria esse momento para te fazer ver as emoções que me percorrem quando os nossos olhos se encontram, como hoje aconteceu. O Mundo pára. Tudo o que temos à nossa volta de evapora, e só consigo ver-te. Deixo de pensar, de sentir. É como se deixasse de ser quem sou, para passar a ser outrem. Perco o rumo das minhas palavras, e perco a minha compostura. Só me apetece ficar assim, não sei durante quanto tempo, mas assim. E curiosamente, ao mesmo tempo em que toda eu rejubilo, só me apetece fugir. Fugir desses teus olhos que me incendeiam por dentro, fugir do que sinto. Sinto-me tremer, e sinto-me a congelar. Não consigo sequer andar, apesar de me forçar a fazê-lo.

É impressionante. Metes-me medo! Não, não és tu - É a tua resposta calada. Aquele não que não quero ouvir. Porque não acredito que seja possível que também tenha feito faísca contigo, naquele tão curto espaço de tempo... Não... É impossível. E apesar de ser tão impossível, chega até a ser possível! Confuso? Boa, é o meu estado de espírito.

Gostava apenas que me desses esse momento. Um momento apenas, basta-me para te fazer ver tudo. Depois, tudo poderia voltar a ser como é agora. Ou não!

teoria feita por Mags às 18:53

08
Mai 11

 

Pareces um boneco, és um bicho estranho, ainda não tens as penas todas, comes à seringa, arranhas-me, pias-me ao ouvido, atacas o Mega, nunca queres sair do meu colo, não gostas da comida quando sou eu que a preparo, não me largas, chamas intensamente por mim se não te tenho ao ombro, quase que te atiras da cama abaixo só para estares comigo, ficas imensamente feliz ao sentir o meu calor, e és chatinho.

 

És o meu bebé, és o meu tesouro e eu amo-te taaaanto!

teoria feita por Mags às 19:31

04
Mai 11

 

Meu bebé, meu tesouro!

teoria feita por Mags às 19:36

02
Mai 11

Mommy, não te escrevi no dia devido, não por falta de lembrança, mas sim por falta de tempo. Aliás, escreva ou não escreva, nunca sais do meu pensamento, e sobrevives sempre em mim.

No dia de ontem, estavas de novo em apogeu na minha pessoa. Deste-me força neste último fim-de-semana para lutar. Elevo-te à mais alta posição, e daí não sais. Obrigada por nunca me deixares cair ao falhar.

 

Amo-te acima de tudo, e sei que sabes disso, que o sentes, nesse cantinho onde te encontras.

 

Vai atrasado, mas obrigada por me teres dado vida. Por me teres transformado em quem sou! E por teres sido quem foste!

teoria feita por Mags às 22:41

22
Abr 11

 

 

São 6 anos. 6 longos anos sem o teu toque, sem o teu perfume, sem a tua voz, sem o teu sorriso, sem a tua presença, sem ti! 6 anos esses que ainda se irão multiplicar por muitos mais.

Os primeiros 3 anos foram de profundo sofrimento. Talvez o primeiro nem tanto, ainda não tinha entendido o que a morte significava. Foi o meu período de adaptação e de entendimento. Penso que caí na realidade desta minha nova vida, quando saí do colégio. Foi nesse momento que percebi que nunca mais cá estarias! Foram tempos críticos, onde não sabia bem o que fazer comigo. O meu corpo mostrava-se sempre forte e inalterado, mas a minha mente sucumbia aos meus desejos de desistir de tudo, e de não me preocupar com mais nada. Vi a mana velha tentar refazer a sua vida, tentando ultrapassar a dor da perda, e a mana em sofrimento permanente. Tentei recompor-me e apoiar a mana. O meu instinto protector estava ao rubro, apesar de o tentar esconder. Refugiei-me em atitudes egoístas, que criaram uma barreira entre mim e o Mundo. As minhas respostas eram rudes, frias, até um pouco incoerentes. Fui aprendendo a lidar (melhor ou pior) com o turbilhão de sentimentos que me assolava a alma, e aprendendo a sobreviver.

No presente, sinto imensamente a tua falta, é algo que me fere sempre que penso em ti. Faltam-me os teus sorrisos, os teus telefonemas. Falta-me a tua voz. O teu cheiro, a esse continuo a encontrá-lo na gaveta que guardámos para ti lá em casa. Reconforta-me, protege-me, acalma-me. Faz-me falta o teu toque. Sabes do que me lembrei há poucos dias? De quando me deitava na tua cama e tu, impelida pelo teu instinto maternal, e inconscientemente me começavas a passar a mão no cabelo. Eu barafustava, dizia para parares, mas a verdade é que amava esses momentos, e tu bem lá no fundo sabia-lo, porque continuavas.

Posso dizer que o meu estado de desespero já passou. Demorou um tempinho mas consegui recuperar a alegria de viver. Quando agora estou pior agarro-me com força a ti. Sim, o meu maior sofrimento é também o meu maior porto de abrigo. Porque agora sinto-te mais forte, sinto-te mais perto de mim do que alguma vez senti! Sei que estás aqui a meu lado, protegendo-me, guiando-me.

E aproveitando uma frase da mana: Se agora não podemos mais estar juntas, porque é que te sinto aqui tão perto de mim?

 

Amo-te. Amei-te ontem, quando te podia tocar; amo-te hoje, que não o posso fazer; e sei que te amarei amanhã. Porque mais juntas do que estamos agora, é impossível. És parte do meu coração e da minha essência!

teoria feita por Mags às 10:55

Junho 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Vamos contar o tempo...
PitaPata Dog tickers
Ajudar e...
760 50 10 95
...Prevenir!
"Orgulho naquilo em que acredito!"
pesquisar
 
"Exige muito de ti e espera pouco dos outros!"
Está verde? Podes falar!
blogs SAPO